Nossa Senhora da Lapa

Segundo dia da Semana da Família: Manter e cultivar o amor entre Cônjuges

15 de agosto de 2016
Segundo dia da Semana da Família: Manter e cultivar o amor entre Cônjuges

Na Segunda feira, 15 de agosto, os fiéis da Paróquia N. Sra da Lapa se reuniram na Rua Augusto Gomes, 106, em frente a residência de José Antonio e Neuza (Comunidade Sao Cristóvao) para a celebração da missa. Veja abaixo a reflexão que Pe. Antonio Eduardo fez sobre o tema, baseado no livro: Matrimônio: Dom e missão.

MANTER E CULTIVAR O AMOR ENTRE OS CÔNJUGES

“Que nenhuma família comece e termine em qualquer de repente”. Para que a família não comece de repente, precisa ser fundada sobre o amor. E para que não termine de repente precisa que esse amor seja renovado diariamente.

O amor conjugal é um conjunto de atenções de um para com o outro.

O amor conjugal é uma escolha consciente, livremente assumida, de doar-se ao outro, o aceitando assim como é, para formar uma família.

O amor do casal não é simplesmente desejar fisicamente um ao outro. “Amar-se não é ir juntos para a cama, mas levantarem-se juntos daquela cama todas as manhãs e enfrentarem juntos as alegrias e os problemas da vida cotidiana”.

Com o matrimônio, o marido se torna o homem daquela mulher, e ela, por sua vez, se torna a mulher daquele homem. Mas, não são mais somente um homem e uma mulher, mas esposos, um casal, “uma só carne”,

O amor conjugal traz consigo a beleza de uma rosa, mas também traz alguns espinhos. No entanto, os espinhos não tiram a beleza da rosa. Da mesma forma, as dificuldades da vida a dois, não tiram a beleza e a riqueza do matrimonio. O amor matrimonial deve ser cultivado diariamente com a paciência, o cuidado e a atenção de um bom jardineiro.

O jardim precisa ser regado todos os dias, um cuidado constante do qual o jardineiro não pode descuidar um só memento.

O casamento é algo que também precisa de cuidado diário, deve-se regar os sentimentos para que eles possam seguir firme e perpassar barreiras e dificuldades.

O jardim há pouco tempo plantado exala beleza e exuberância, que contagia o jardineiro, mas essa beleza vai se apagando aos poucos e faz-se necessário um trabalho de recuperação do solo, adubação para que essas plantas possam florescer contagiar com sua beleza novamente.
O casamento no início é maravilhoso, promessas de amores eternos de sonhos conjuntos, algo que parece impossível acabar. Mas o tempo mostra diferente, ele vai desgastando e todas as promessas que foram feitas ficam para trás, e o que se pode fazer? Assim como o jardim, precisa-se recuperar o que foi perdido durante esse tempo de convivência, restituir os laços afetivos.
O jardim precisa de ar, sentir a brisa da manhã, espaço para desenvolver e florescer. Ele é composto por várias espécies de plantas umas mais raras ou nem tanto, flores de todas as espécies de cores distintas, cada tipo de planta tem a sua essência, essa essência a faz bela. Não teria graça se um jardim fosse composto por apenas uma planta, as diferenças são necessárias para enriquecer o jardim.

O casamento as pessoas também precisam de espaço, sem sufocar ao outro, conversar com os amigos espairecer. Ele é composto por apenas duas pessoas, mas essas pessoas têm sonhos diferentes, gostos diferentes atitudes diferentes, temperamentos diferentes. É nessas diferenças que mora a essência, e assim como nas plantas, ela também nos faz belos. A identidade das pessoas é essencial. E como conviver com essas diferenças? Aceitando-as, elas são importantes, servirão para enriquecer os diálogos e a convivência, pois não tem graça ser igual ao outro. 

O jardim precisa do sol para fazer as plantas germinar, crescer e florir. O Sol do casamento é Jesus, Luz que nos ilumina. Um casamento sem Deus, é um jardim na escuridão.  

Há plantas no jardim que precisam ser podadas outras devem passar por um processo de limpeza. Homem e mulher não devem descuidar do aspecto físico e da elegância. Não é porque já casou que podem ser desleixados: ninguém merece conviver com bafo onça, cheiro de gambá ou ao lado de um cascão que não gosta de tomar banho: banho diário, escovação dos dentes, periódicas visitas ao dentista e uso de perfume ou anti-transparente não faz mal a ninguém.

Assim, o casal deve buscar a felicidade cultivando sempre a sua relação.o

O inimigo que mais ataca a vida do casal é a rotina. Cada um dos cônjuge deve buscar o modo de conquistar cada dia o amor do outro através pequenos detalhes e gestos de ternura. E não deve poupar criatividade para inovar sempre na conquista do outro, que deve ser diária.

Conselho para as mulheres:

  1. Ame e elogie o teu marido, não o compare com o marido da amiga.
  2. Pese bem suas críticas, não arruíne o relacionamento por pequenas coisas.
  3. Demonstre sempre carinho e atenção para com o marido e o tenha como confidente, afinal os problemas de um se tornam problema do outro.
  4. Evite o excesso de ciúme.
  5. Se preocupe em seduzir a seu marido e não a outros homens.
  6. Não se queixes, confidencialmente, com um amigo das deficiências do teu marido; este pode se tornar o primeiro passo para a infidelidade, pois os amigos sempre serão mais compreensíveis que o marido.
  7. Não finjas uma crise para conseguir o que quer.
  8. Cuida do teu aspecto externo.

 

Conselho para os maridos:

  1. Ame tua esposa mais que qualquer outra mulher que passe ao teu lado.
  2. Interesse pelos problemas da tua esposa e dos teus filhos.
  3. Não te esqueças que tua mãe é a sogra da tua esposa. Procura prevenir ciúmes e evitar ingerências.
  4. Não tenha vergonha de dizer que ama sua esposa, mesmo que ela já saiba. E demonstre esse amor sempre.
  5. Nunca pense que a infidelidade do homem é normal ou menos grave,
  6. Lembre-se que o compromisso mais importante da tua vida é a tua família: esposa e filhos. A prioridade do seu tempo deve ser para eles. Não pense que basta levar dinheiro para casa.
  7. Ajude tua esposa nas tarefas domésticas.
  8. Não seja desleixado no teu aspecto físico.

IMG_0955 IMG_0951 IMG_0950 IMG_0949 IMG_0945 IMG_0933 IMG_0912 IMG_0909 IMG_0908 IMG_0904 IMG_0901