Nossa Senhora da Lapa

#HistóriaDaParóquia

Vazante! Cidade nascida da fé

Vazante não surgiu com tropeiros em busca do ouro e muito menos por possuir prados amenos. Nasceu de uma visão da imagem de Nossa Senhora da Lapa em uma de suas grutas por um casal de viajantes, vindo em seguida uma capela e em torno desta o casario.

Primitivamente o primeiro nome foi Lapa, cujo território era constituído da Fazenda Vazante (durante os períodos das chuvas os 2 rios da região transbordavam provocando as cheias, também chamadas vazantes dos rios).

O povoamento de Vazante surge, propriamente, em virtude da visão da Lapa, que ocasionou uma grande romaria ao local.

O início do povoado, onde se formaria a futura cidade, se deu, realmente, por volta do ano de 1920. Foi justamente quando se procedeu a divisão da fazenda Vazante, com a separação do patrimônio de Nossa Senhora da Lapa.

Esse patrimônio foi doado por Ana Gonçalves (conhecida por Ana Pintada), Gervásio Gonçalves dos Santos e Gustavo Alves Rosa. Tratava-se de uma gleba de 20 alqueires, dentro da área da referida fazenda, sem local definido. Como não havia divisão oficial, em 1917, foi demarcada no lugar onde se encontra a cidade.

Em torno da capela surgiram as primeiras casas. Além das residências veio à casa comercial, onde se vendia de tudo. Depois apareceu a escola. Estruturou-se a primeira rua, a atual Rua Salatiel Corrêa. Outras iam surgindo, com casas bem construídas. Era o arraial de Vazante que nascia do Distrito de Guarda-Mor, no município de Paracatu.

Com o desenvolvimento do povoado em torno da capela, pleiteou-se a criação do distrito de Vazante. Acredita-se, quem esteve à frente desse movimento foi a Irmandade de Nossa Senhora da Lapa, também conhecida como Grupo dos 12. O distrito foi criado pelo governador Benedito Valadares, através do seu Decreto-Lei 148, de 17 de dezembro de 1938.

Todo o seu território foi desmembrado do distrito de Guarda-Mor (criado em junho de 1858), no município de Paracatu.

A descoberta do minério de zinco se deu em 1933, através de pesquisas realizadas pelo engenheiro chileno Ângelo Custódio Solis. Esta descoberta foi confirmada anos depois pelo geólogo Alberto Vellasco da Cia. Níquel Tocantins do Grupo Votorantim. Nascia então a grande exploração do zinco que culminou com a primeira viagem de minério para a fábrica de Três Marias da Cia. Mineira de Metais em 1969. Junto a este empreendimento o município cresceu muito nos últimos 30 anos. Vazante foi emancipado pela Lei 1.039, de 12 de dezembro de 1953, sancionada pelo governador Juscelino Kubitschek de Oliveira.

Ereção e instituição de Paróquia – Protocolo nº 02

“Dom Frei Raimundo Lui O. Carm., Por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica, Bispo de Paracatu. Saúde, Paz e Bênção no Senhor. Fazemos saber que atendendo às necessidades espirituais dos fiéis da Paróquia de Guarda Mor que devido a grande extensão territorial da mesma paróquia os seus habitantes não podem com facilidade assistir a Santa Missa, receber os Sacramentos e participar dos demais atos religiosos, é necessário dividi-la e, usando da Nossa Jurisdição Ordinária segunda o Código do Direito Canônico HAVEMOS POR BEM; (fazer por este documento o que S. Ex.cia Rev.ma Dom Frei Eliseu Van de Weijer O. Carm. Aos 20 de fevereiro de 1956 fizera verbalmente) SEPARAR, DIVIDIR e DISMEMBRAR da paróquia de Guarda Mor o território do Atual município de vazante e com ele pelo presente Decreto canonicamente erigimos e constituímos uma nova paróquia que se denominará Paróquia de Vasante. Terá o território delimitado pelo mesmos limites do Atual município de Vasante. Esta nova paróquia submetermos à jurisdição do que para ela for nomeado e dos que canonicamente lhe sucederem no cargo, bem como todos os habitantes que nela residirem, aos quais mandamos que, tanto para o Rev. Vigário, como para a Fábrica Nova paróquia, contribuam religiosamente com os emolumentos, oblações e benefícios a ambos devidos por estatuto, leis, usos e costumes nesta Nossa Diocese. Damos portanto, por canonicamente erigida e constituída em Nossa Diocese a Paróquia de Vasante tendo como Padroeira Nossa Senhora da Lapa e como Matriz a Igreja do mesmo nome. Mandamos que este Nosso Decreto seja lido no primeiro dia santificado, após a recepção do mesmo, na Estação da Missa Paroquial da Igreja Matriz da nova Paróquia que acabamos de instituir pelo respectivos vigários que passarão certidão ao pé desta para todo o tempo constar. Dada e passada em nossa Cúria Diocesana de Paracatu, sob o Nosso Sinal e sêlo de Nossas armas, aos 25 de janeiro de 1963. Dom Raimundo.

Vigários Ecônomos e Párocos

  1. Frei Humberto Caz Teijiling – Vigário  (31 de julho 1954 – 20 de fevereiro de 1956)
  2. Frei Cecílio Bruggeman (24 de fevereiro de 1956 – 1957)
  3. Frei Bertoldo Van der Mee (21 de março de 1957-1958)
  4. Frei Cecílio Bruggeman (1959 – 1960)
  5. Frei Paulo Kogelman O. Carm. – Vigário Ecônomo (31 de janeiro de 1960 a 19 de maio de 1963)
  6. Frei Estêvão Perters – Vigário Ecônomo (19 de maio 1963 – 17 de abril de 1965)
  7. Frei Vicente Klein Gebbinck – Vigário Ecônomo (17 de abril de 1965 – 17 de abril 1979)
  8. Frei Reinaldo Verberk (17 de abril 1979 – 21 de julho de 1994)
  9. Pe. Adão Geraldo Davi – Vigário Paroquial desde dezembro de 1993 e Administrador Paroquial de 21 de julho de 1994 a 03 de janeiro de 1995)
  10. Pe. Augusto da Silva Couto – Pároco  – (04 de janeiro de 1995 – 02 de fevereiro de 2006)
  11. Pe. Valdeci de Lima – Pároco  – (03 de fevereiro de 2006 – 29 de maio de 2014)
  12. Pe. Geraldo Marcone da Silva  – Pároco  –  (01 de junho de 2014 – 16 de junho de 2015)
  13. Pe. Antonio Eduardo de Oliveira  – Pároco  – (Desde 2015)

Em 16 de Julho de 2007, Dom Leonardo de Miranda Pereira, emitiu um decreto criando e instalando a Paróquia N. Sra. do Carmo em Vazante, totalmente desmembrada da Paróquia N. Sra. da Lapa. Portanto, atualmente a Paróquia N. Senhora da Lapa conta com:

  • 09 COMUNIDADES URBANAS: Santuário N. Sra. da Lapa; N. Sra. de Fátima; São João Batista; São Francisco; Sagrado Coração de Jesus; Santa Rita de Cássia; N. Sra. Aparecida; e São Cristóvão;
  • 12 COMUNIDADES RURAIS: São Sebastião (Claro de Minas); N. Sra. de Fátima (Vazamor); Imaculada Conceição (Conceição da Santa Cruz); Cristo Rei (Gameleira); São José Operário (Rio Escuro); Santa Bárbara (Salobo); N. Sra. D´Abadia (Cachoeira); São Miguel (Amoreira); N. Sra. Aparecida (Macaúba); Medalha Milagrosa (Tains); Santo Antônio (Bainha); N. Sra. das Graças (Brejo).
  • PASTORAIS, MOVIMENTOS E SERVIÇOS: Pastoral do Batismo, Pastoral dos Noivos, Pastoral da Criança, Pastoral da Esperança, Pastoral da Saúde, Pastoral do Dízimo, MECES (ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística), Pastoral da música Litúrgica, Pastoral da Catequese, Apostolado da Oração, Mãe Rainha, Vicentinos, Terço dos Homens, Legião de Maria, RCC (Renovação Carismática Católica), Hostiárias, Coroinhas, ECC (Encontro de Casais com Cristo), MAC (Movimento de Amizade Cristã), EAC (Encontro de Adolescentes com Cristo)