Nossa Senhora da Lapa

Dom Jorge abre Porta Santa da Misericórdia no Santuário Nossa Senhora da Lapa

21 de abril de 2016
Dom Jorge abre Porta Santa da Misericórdia no Santuário Nossa Senhora da Lapa

Atendendo a solicitação de Pe. Elcio, Vigário Forâneo, tendo em vista o bem da Forania São Joâo Evangelista composta por três Paróquias (Nossa Senhora da Lapa, Nossa Senhora do Carmo e Santa Rita de Cássia) e o Grande número de peregrinos que procuram o Santuário Nossa Senhora da Lapa, Dom Jorge Alves Bezerra, SSS,, Bispo Diocesano de Paracatu procedeu a Aberturua da Porta Santa da Misericórdia no Santuário N. Sra. da Lapa em Vazante na noite do dia 6 de Março de 2016.

Confira abaixo trechos da Homilia proferida: 

“… Quis Providencia, neste ano Santo da Misericórdia, que abríssemos aqui a 4ª Porta Santa da Misericórdia da nossa Diocese. É uma grande graça para essa forania … O Papa Francisco abriu o Ano Santo da Misericórdia e abriu também a Porta Santa na Basílica de São Pedro em Roma. E Logo depois as Dioceses e Santuários abriam também a sua Porta Santa, como nós estamos fazendo hoje. Todos aqui que passaram pela Porta Santa, podemos dizer passaram por dentro do Coração de Deus… Vendo o ser humano na condição de pecado e com séria ameaça de ter a morte eterna por causa do pecado, Deus tomou a iniciativa de vir aqui e nos salvar. Esse modo de ser de Deus indica que Deus não é indiferente aquilo que acontece com as pessoas… O exemplo da mobilidade misericordiosa vem de Deus e se olharmos a pessoa de Jesus, Filho único de Deus, Segunda pessoa da Santíssima Trindade, Deus, enviado à Terra para revelar a misericórdia do Pai. Lá na entrada da Porta Santa tem essa frase: “Jesus é o Rosto da Misericórdia do Pai”.

Para um Pastor zeloso não basta ensinar, ensinar é pouco. Porque para Jesus, o Bom Pastor, ensinar foi pouco. Além de ensinar, Jesus teve comunhão de mesa com os pobres, ele se aproximou dos pobres, tocou os pobres, curou essas pessoas, restituiu a liberdade, o perdão, a paz, multiplicou o pão para os que estavam com fome, deu saúde aos doentes, libertou os oprimidos pelo pecado. Jesus não foi um teórico da fé em primeiro lugar, mas alguém que disse: “Quem me vê, vê o Pai”. O Pai é misericordioso. Coisa linda o ensinamento de Jesus: o filho que volta, a pecadora perdoada (Há poucos dias acompanhamos esses evangelhos na sagrada liturgia). Para o bom Pastor, ensinar teoricamente é pouco. Mas ele sempre ensina com seus atos, com seu gestos de bondade, de compaixão, de misericórdia, que recupera as pessoas, que restitui a dignidade, saúde, vida.

Para nós pastores, para ensinar precisamos tomar um banho de poeira. Ir aonde está o pobre, passar pela lama, ir aos povoados, favelas, aos lugares mais difíceis para anunciar ali a misericórdia de Deus. O Pastor deve ser itinerante, visitar as prisões, os hospitais, os lugares onde as pessoas estão sofrendo mais. Isto caracteriza a misericórdia de Deus que é servida como um pão a quem espera um alento para o seu sofrimento.

Podemos olhar a misericórdia de Deus primeiro como o perdão dos pecados. Alguns dizem que esta misericórdia vem do alto, e de fato à Terra uma misericórdia vertical: uma chuva de misericórdia quem vem do céu para terra, que é o perdão de Deus que chega até o ser humano para resgatá-lo da morte e conduzi-lo à vida. Um segundo aspecto da Misericórdia vem do perdão, é a misericórdia que socorre. Lá na entrada da Porta eu via as obras de misericórdia… Além da misericórdia que vem do alto, tem a misericórdia que socorre aquele que está com fome, aquele que está nu, aquele que precisa de uma assistência humanitária, de uma assistência também espiritual. Junto com a ajuda material que as pessoas querem muito, vem a ajuda espiritual….

Todos nós podemos e devemos praticar a misericórdia porque somos primeiros perdoados para aprendermos a perdoara. Somos primeiro socorridos, para aprender a socorre os irmãos. Fomos também iluminados pela Palavra, a misericórdia que ilumina as trevas da ignorância que impedem de ver com clareza a beleza de Deus.

Neste dia em que o Senhor concede a graça de abrirmos essa porta, nós dizemos a Deus: muito obrigado, porque o Senhor abriu o nosso coração. Não basta apenas abrir esse porta e por ela entrar, é preciso que cada um abra a porta do seu coração para perdoar, para socorrer, para iluminar, os seus irmãos. Para que o testemunho da fé seja vigoroso e ajude as pessoas a ter a certeza de que Deus está no mundo e age em favor de seus filhos. Que Deus nos dê uma fé firme para sermos misericordiosos como Ele é misericordioso…

Que a abertura desta porta nos ajude a também a abrir a porta para os nossos irmãos: quem tem dificuldade para perdoar, perdoe o seu irmão porque você passou pela porta do perdão e foi perdoado. Alguém precisa ser visitado (doente, preso…), eu foi exercer a misericórdia, eu vou ser a misericórdia de Deus na vida das pessoas porque Deus é esse Pai Misericordioso que está aqui no meio de nós.

Pai, muito obrigado por esta 4ª Porta Santa da nossa Diocese. Que não seja apensas um gesto de abrir, mas que a abertura deste Porta abra o nosso coração para Deus, para os irmãos (para a Caridade, exercício concreto da misericórdia).

Vem aí a Festa de Nossa Senhora da Lapa, está perto o mês de Maria. Mostrem essa Porta para os Peregrinos. Digam a eles: aqui tem uma Porta da Misericórdia. Essa festa será a Festa da Misericórdia, do Ano Santo da Misericórdia, para q7e nós possamos ser cada vez mais acolheres em nome do nosso Deus e servir a todos o pão da misericórdia.

Peço à nossa Mãe Maria, Senhora da Lapa que rogue a Deus Por nós. Peço à nossa Mãe Maria, Senhora do Carmo e a querida Santa Rita que roguem a Deus por nós para sejamos firmes na fé como esses três jovens da primeira leitura, para que tenhamos nosso coração enraizados em Deus… Nossa alegria seja: ensinar e testemunhar o Evangelho com as Boas obras de Misericórdia espirituais e corporais”.